Organização e História Sindical

Organização Sindical:

Sindicato: agrupamento formado para defesa de interesses comuns.
Sindicalismo
: doutrina política que fortalece a luta dos trabalhadores para uma transformação social e política de cidadania.
Sindicalista
: pessoa partidária do Sindicalismo.
Sindicalização
: feito legal de Sindicalizar-se.
Sindicalizar
: reunir-se em Sindicato, passar a ser membro integrante, sócio de um sindicato.

História:

Em 1922, teve início os primeiros passos dos trabalhadores para organizar-se em Associações após criar Sindicatos, para poder defenderem suas justas condições de trabalho e salários. Esses trabalhadores em alguns momentos, reuniam-se durante a noite, após vasta jornada de trabalho em suas próprias residências, por não estarem regulamentados, vivendo no processo da clandestinidade. Organizados por categorias, onde os fins expressava o enquadramento, estando nos próprios estatutos..

Em 1934 a 1937, foi autorizado pelo governo a criação de Sindicatos no Brasil e regulamentados pela autoridade competente em 1943. Os primeiros trabalhadores a se organizarem foram os sapateiros, construção civil e os trabalhadores em rede ferroviária.

Daí para frente foram criando-se Sindicatos de acordo com a conveniência do Poder Econômico e dos empregados. Com muitas dificuldades, muitos atritos e muito sangue, foi dado o primeiro passo. A reunião da Associação Profissional dos Mestres e Contramestres na Indústria de Fiação e tecelagem de Brusque, foi realizada no dia 15 de janeiro de 1961, na sede da Sociedade Caça e Tiro Ipiranga (na rua Ipiranga). Foi aclamado para presidir a sessão o operário Hilário Bernardi que, ao assumir convidou para secretario Lothar Dianlas Hernandes Kempt. Iniciada a sessão, Bernardi teceu ligeiras considerações em torno do objetivo da reunião, e em seguida deixou a palavra livre.

Vários trabalhadores revezaram-se para fazer seus comentários e considerações sobre a importância da criação da entidade – entre eles, Guilherme Jeske, Arlindo Zirke, Oswaldo Fritzen. Na mesma noite, foi aprovado o estatuto social e eleita e empossada a primeira diretoria: Hilário Bernardi (presidente), Lothar Dianlas Hernandes kempt (secretário), Roberto M. Corrêa (tesoureiro), Herbert Appel, João Luchini e Oswaldo Fritzen (suplentes da diretoria), Orlando Klann, Fernando Zen, Heinz Appel – efetivos (conselho fiscal), Luiz rosin, Pedro Werner e Solano Groh – suplentes (conselho fiscal).
Mais tarde, a entidade passou a denominação de Sindicato dos Mestres e Contramestres na Indústria de Fiação e Tecelagem de Brusque.

Mas, quem são os mestres e contramestres dentro das empresas?
Em 2001, o sindicato mudou a carta sindical porque mestre e contramestre são hoje figuras praticamente desaparecidas da indústria. porque eram eles os encarregados, o pessoal que cuidava dos turnos… As empresas foram se modernizando, então ficaram os supervisores e os encarregados. Hoje, o contramestre é o mecânico, e o mestre é o supervisor. O mestre era responsável pela produção e pelo grupo, respondia perante o gerente. Os mestres e contramestres, a princípio, não foram vistos como trabalhadores pelos demais operários do setor têxtil, devido a hierarquia da indústria daqueles tempos: a)patrão; b)gerente; c)mestre; d)contramestre. O ex-presidente do SINDMESTRE, Clébio Morsch Gonçalves (in memorian), recordou da importância da atuação do mestre:

Na têxtil Renaux, onde trabalhou, a figura do mestre era muito importante. Numa tecelagem, por exemplo, havia o mestre da tecelagem, que tinha sob o seu comando 10 contramestres, porque havia diversas sessões. O contramestre era o auxiliar do mestre, que consertava as máquinas. Segundo vanolli, os sindicalizados não eram bem vistos nas assembléias dos têxteis porque representavam “a figura do patrão”. A atual denominação do SINDMESTRE é Sindicato dos Mestres, Contramestres, Técnicos Têxteis, Pessoal de Escritório, Ocupantes de cargos de chefia, das indústrias de Fiação, Tecelagem, Malharia, Tinturaria e assemelhados de Brusque e região. A base territorial abrange os municípios de Brusque, Nova Trento, Guabiruba, Botuverá, Canelinha, São João Batista e Tijucas.

Sindicato de mestres e contramestres em Santa Catarina só existe um. Também a outros sindicatos em Minas Gerais e em São Paulo.

SEM CONSCIÊNCIA E ÉTICA NÃO HÁ MOVIMENTO SINDICAL,SEM INDEPENDÊNCIA E TRABALHO NÃO HÁ GARANTIA DE DIREITOS,SEM SINDICATO NÃO HÁ CIDADANIA E JUSTIÇA SOCIAL.

Valdírio Vanolli
Presidente do SINDMESTRE-SC

Diretoria – 2014/2019

  • Presidente Valdirio Vanolli
  • Vice-Presidente Geraldo Bianchini
  • Secretário Geral e Conselho de Representantes junto a Federação Jean Carlo Dalmolin
  • Tesoureiro Osnildo Lira
  • Secretário de Negociação Coletiva Elizabeth Machado
  • Secretário de Formação Sindical Rosmari de Souza Pereira
  • Secretário de Imprensa e Comunicação Lilian Dressel

Diretoria – Suplentes

  • Patricia Benvenutti
  • Joseane D. da Silva
  • Carine Imhof
  • Elisangela Graff
  • Odair José Schlindwein
  • Marcilei Hugen
  • Edson Coelho

Conselho Fiscal – Efetivos

  • Vilson Blüning
  • Angelin Batisti
  • Valdemir José Schlindwein

Conselho Fiscal – Suplentes

  • Sergio Soares
  • Glauco Renan Fantoni
  • Ricardo Luiz Imhof

Conselho de Representantes junto a Federação – Efetivos

  • Jean Carlo Dalmolin
  • Ivo de Souza

Conselho de Representantes junto a Federação – Suplentes

  • Arlindo Maçaneiro
  • Vilmar Thomaz

Conselho de Delegados e Representantes Sindicais

  • Edival Batista Monn
  • Adir Marques Filho
  • Francisco Miguel Fraga
  • Ademir Boettger
  • Pedro Venske
  • Gilmar Luciano de Borba
  • Bento Boos

Missão:

Representar, organizar e defender os trabalhadores e as trabalhadoras dos cargos de Mestres, Contramestres, Técnicos Têxteis, Pessoal de escritório, Ocupantes de cargos de chefia nas indústrias de Fiação, Malharia, Tinturaria, Tecelagem e Assemelhados de Brusque e Região.

Visão:

Ser referência para o movimento sindical, sendo uma entidade estruturalmente bem organizada, com autonomia econômica e com ampla representatividade.

Valores:

Ter respeito pelos associados, pelos colaboradores, parceiros e com a sociedade; agir com ética e transparência; ser colaborativo e atencioso; trabalhar em equipe e mostrar comprometimento.